Convergência Digital - Home

Uma empresa utiliza, em média, 1295 serviços na nuvem

Convergência Digital
Convergência Digital - 15/08/2019

Os serviços na nuvem representam 85% de todo o tráfego corporativo da Internet, apura o Netskope Cloud Report, produzido pela empresa de segurança na nuvem, Netskope. De acordo com o estudo, as três principais violações de política detectadas em serviços de nuvem corporativa incluem Prevenção a Perda de Dados (DLP), política de atividade na nuvem e, violações de atividade atípica.

Para o tráfego tradicional da web, as três principais relatadas incluem violações de políticas de uso aceitável, as de sites mal-intencionados e detecções de malware. Esses dados indicam a necessidade de uma ferramenta ou tecnologia específica para lidar com as ameaças modernas – uma abordagem única para nuvem e para a web. Embora a identificação e prevenção de dados confidenciais sejam essenciais para serviços específicos na nuvem, monitorar o uso aceitável de aplicações da web é um enorme desafio.

"À medida que as empresas adotam a transformação digital e substituem cada vez mais o uso tradicional da web por serviços na nuvem, é fundamental avaliar se os controles apropriados estão em vigor para garantir todo o tráfego. Enquanto a maioria das ferramentas estão se concentrando no tráfego da web, essa mudança significativa para o uso da nuvem é o que traz obstáculos para as equipes de segurança", afirma Jason Clark, CSO da Netskope. "Não existe um modelo padrão para proteger uma empresa, uma vez que estamos falando de novas ferramentas e tecnologias. Por outro lado, clareza na compreensão do tráfego e da vigilância adequada devem ser requisitos para todas”, completa o executivo.

Os aplicativos de armazenamento e colaboração abrangem a maioria dos 20 principais serviços na nuvem, seguidos de apps de mídias sociais voltados ao consumidor como Facebook, Twitter, LinkedIn e YouTube. Esse é um sinalm acrescenta o relatório, que mais empresas estão permitindo que funcionários utilizem redes corporativas para uso pessoal.

O estudo apura ainda que o uso intenso de serviços na nuvem é geralmente impulsionado pelo uso de múltiplas instâncias desses serviços na empresa. Os fatores que afetam o número de instâncias incluem o uso pessoal de serviços populares, aplicações por departamentos ou equipes específicas e a utilização de instâncias de aplicações com terceiros, como parceiros e clientes.

Um novo índice avaliado neste relatório aponta que, em média, as empresas utilizam aproximadamente 100 instâncias exclusivas para o Facebook, Yahoo Mail e Google Gmail, destacando ainda mais a convergência de aplicativos pessoais e de consumo com operações de negócios.

O relatório aponta que em média cada empresa utiliza 1295 serviços na nuvem – um aumento de 3,9% em comparação aos resultados apresentados em outubro de 2018. Para essa análise, a Netskope avalia mais de 50 critérios com o Netskope Cloud Confidence Index™ (CCI) para determinar se os serviços estão aptos para o uso corporativo.

Em uma escala de 0 a 100, os que recebem uma classificação menor do que 74 não são considerados prontos para empresas. Os critérios que indicam essa falta de qualidade incluem certificações inadequadas de compliance, controles de política de DLP ou criptografia. Este relatório constatou que 96,3% dos serviços se enquadram nesta categoria, um aumento de 3,6% em relação ao ano anterior.

Seguindo a tendência apontada nos relatórios anteriores, os serviços voltados para Recursos Humanos, Marketing e de Colaboração continuam sendo os mais utilizados, aumentando o risco de exposição de dados de clientes e de funcionários. Para baixar o relatório completo, acesse https://resources.netskope.com/cloud-reports/netskope-cloud-report-august-2019


ARTIGO . Por Melissa Torgbi

Cientista de dados: seja curioso, se envolva e tenha muita disposição para resolver problemas

Há muita empolgação acerca do termo “ciência de dados” atualmente. Para nós que queremos ser cientistas de dados, há alguns requisitos. Um deles: ter muita, mas muita vontade de aprender o tempo todo.

Destaques
Destaques

Empresas ambicionam mais Inteligência Artificial, mas sofrem com falta de talento

Um apesquisa global da Bain mostra que três em cada empresas, instigadas pela covid-19 e a aceleração da digitalização, se preparam para investir mais em inteligência artificial e machine learning. Mas assumem que as dificuldades não são poucas.

Eneva investe R$ 3 milhões para unir gás à energia com a IA ALINE

Software, que utiliza algoritmos de machine learning, foi desenvolvido em parceria com o Instituto Tecgraf da PUC/Rio e está sendo testado no Maranhão. Próxima etapa é um projeto de pesquisa com foco na integração da produção do gás onshore com a geração de energia, o que significa usar IA em um projeto 100% conectado.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O que é o balanceamento de carga de alta disponibilidade?

Por Ivan Marzariolli *

A alta disponibilidade começa com a identificação e eliminação de pontos únicos de falha em sua infraestrutura que podem desencadear uma interrupção do serviço - por exemplo, implantando componentes redundantes para fornecer tolerância a falhas no caso de um dos dispositivos estiver com problemas.

Dados em tempo real fazem toda a diferença no e-commerce

Por Leandro Rodriguez*

O tempo se tornou o fator crítico no relacionamento entre vendedor e comprador. Levar informações em tempo real a uma filial local ou a gerentes de loja pode ser determinante para a aquisição de clientes e, consequentemente, aumentar as vendas.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site