TELECOM

Um terço dos brasileiros desperdiça dados móveis

Ana Paula Lobo ... 29/03/2019 ... Convergência Digital

Um terço dos brasileiros desperdiça dados móveis da franquia contratada junto a operadora, o que significa perder dinheiro ao final do mês, informa o analista Sênior do Ericsson Consumer & Industry Lab, André Gualda. Em entrevista ao portal Convergência Digital, o especialista revela que, por ano, o usuário médio brasileiro deixa de usar 14,4 gigabytes de dados contratados.

"Isso significa usar streaming de música por 245 horas; ou assistir três temporadas de Games of Thrones, entre outras situações. É muito dado jogado fora. O momento é o de repensar e passar usar o gigabyte como moeda em uma relação transparente com a operadora. As pessoas contratam dados ilimitados para ter paz de espírito e não correr risco de ficar sem Internet. O jogo não pode ser esse. O usuário tem de pagar pelo que consome e o preço justo",ressalta Gualda.

Pesquisa recente feita pelo ConsumerLab da Ericsson com 14 mil usuários, entre eles consumidores do Brasil, mostra que os usuários consideram os serviços das operadoras complexos e complicados de entender. No Brasil, observa Gualda, dois em cada três usuários de smartphones entrevistados disseram não entender o plano de dados contratado tampouco como acontece a contabilidade do consumo de dados.

"Os consumidores querem um modelo mais intuitivo, mais simples. O 5G está chegando e é a grande oportunidade de as operadoras darem a virada necessária para recuperarem o engajamento com os seus consumidores", destaca Gualda. O estudo da Ericsson mostra ainda que segue a percepção do consumidor que celular é caro e o Wi-Fi é de graça.

"No Brasil, mesmo com plano ilimitado de dados da operadora móvel, o consumo de Wi-Fi não muda. Um usuário brasileiro médio gasta cerca de 5 gigabytes ne rede celular e usa 25 gigabytes em rede Wi-Fi, abordagem bastante semelhante à de vários países no mundo", salienta Gualda.

Neste momento, o ConsumerLab está desenvolvendo a maior pesquisa sobre 5G do mundo- estão sendo ouvidos24 países, entre eles o Brasil, para entender os diferentes modelos de negócios possíveis para a nova tecnologia. O estudo deverá ser divulgado mundialmente no final de abril.

Em maio, antecipa Gualda, será divulgada uma análise exclusiva do cenário para o Brasil. "O 5G chegou para mudar tudo. É a chance de a operadora retomar a relevância junto ao seu usuário. Hoje todo mundo é relevante, fabricante de smartphone, OTTs, e as operadoras não são citadas e são elas que constroem a infraestrutura. São elas que viabilizam os serviços", completa o analista da Ericsson.


Internet Móvel 3G 4G
CCR Barcas e Visa fazem piloto de pagamento por aproximação (NFC) nas barcas do Rio

Experiência - onde o passageiro não precisa mais comprar ou recarregar um bilhete específico e a cobrança do valor acontece na fatura do cartão - chega primeiro às estações Araribóia e Praça XV.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Qualcomm defende faixa de 6GHz para não licenciados atenta ao 5G

Diretor da Qualcomm, Francisco Soares, espera que a Anatel se defina por dar os 1,2GHz para os serviços licenciados. "O 6GHz não licenciado será o complemento ideal para os serviços licenciados 5G", sustenta.

Anatel define se faixa de 6GHz será 100% não licenciada ou terá 500 MHz para as teles

"A área técnica recomendou o uso para não-licenciado", contou o superintendente da Anatel, Vinicius Caram, ao participar do eForum Wi-Fi 6, realizado pelo Convergência Digital e pela Network Eventos.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G