TELECOM

Usuários da MVNO Porto Seguro vão escolher se ficam ou não com a TIM

Luís Osvaldo Grossmann ... 03/10/2018 ... Convergência Digital

Informada há cerca de três meses que a maior operadora ‘virtual’ do Brasil, a Porto Seguro, iria  abandonar o mercado, a Anatel acredita que a decisão se deve muito mais a troca de comando da seguradora do que a qualquer problema com o mercado MVNO no país.

Segundo o superintendente de competição, Abraão Balbino e Silva, o acompanhamento da agência vai se centrar no devido processo de portabilidade dos clientes, além de tratar do pleito da TIM, que quer ficar com esses usuários, de manter o plano de numeração da Porto Seguro. Números da Anatel indicam que a Porto Seguro chegou a ter 735 mil acessos, mas a Tim, que dá suporte à operação, fala em 563 mil, concentradas em M2M.

“A gestão da Porto Seguro mudou e o novo CEO entendeu que a margem era muito pequena e decidiu descontinuar a operação. Era algo que a empresa usava muito para por uma questão de fidelização. Não é fracasso do MVNO, longe disso. Um contraponto é a Brisanet, que é MVNO da Vivo e veio aqui relatar um caso de sucesso depois de entrar nesse mercado há seis meses. Sai um agente, entra outro”, afirma o superintendente de competição da agência.

De acordo com ele, a Anatel não precisa dar qualquer chancela à decisão. “A Anatel não tem nada a ver com isso. Não tem anuência prévia, não há questões societárias envolvidas. Do ponto de vista regulatório, estamos verificando a questão da numeração, uma vez que a TIM quer manter com ela. E o que vamos acompanhar também é se o processo vai acontecer corretamente do ponto de vista de proteção do consumidor, do RGC, do respeito à portabilidade.”

A TIM, que é a fornecedora de infraestrutura (leia-se, espectro) da Porto Seguro, anunciou que vai assumir a Porto Seguro Conecta e oferecer as mesmas condições aos atuais usuários. Mas a Anatel ressalta que os clientes da Porto Seguro é quem devem optar para qual operadora querem migrar. “Pelo regulamento, se você é usuário da Porto Seguro, o número é seu. Ela não pode chegar e dizer ‘agora você é usuário da Tim’. Você é quem tem que decidir se fica na TIM ou vai para a outra. Então o que precisa é garantir que os usuários vão ter as oportunidades de migração para outras operadoras’, explica Silva.

“Do ponto de vista da relação usuário prestadora, a Porto é uma prestadora SMP como qualquer outra. Ser MVNO é uma peculiaridade, significa que ela não tem espectro. Mas do ponto de vista consumerista, é uma operadora como qualquer outra. O que acontece é que uma operadora está saindo do mercado e outra vai oferecer para esses usuários as mesmas condições comerciais. Mas para que haja essa migração tem que haver uma escolha dentro das regras da portabilidade. O MVNO nunca foi uma regulamentação para ampliar competição, é muito para ampliar diversidade de oferta para o usuário final”, completa.

http://www.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=site&infoid=49131&sid=8

http://sis-publique.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=49120&sid=8


Internet Móvel 3G 4G
MCTIC adianta leilão 5G com visão nacional do uso do espectro

Atuando como ministro em exercício, Júlio Semeghini, confirmou o leilão das frequências 5G para o primeiro semestre de 2020. Também disse que vai ao Congresso Nacional para defender o uso do FUST para viabilizar projetos de cidades inteligentes.

Veja edição 12 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 12
Especial 20 Anos de Internet no Brasil


Há 20 anos os provedores de Internet escrevem suas histórias no País. A trajetória não foi nada fácil. Houve decisões políticas e econômicas significativas. Infraestrutura, modelo de negócios e fidelização de clientes foram relevantes no passado e continuam sendo no presente. Ao longo de duas décadas, os ISPs tiveram de se reinventar diversas vezes para não deixar de existir.

Clique aqui para ver outras edições

Justiça do Distrito Federal condena Sky por desrespeitar pedidos de cancelamento de serviço

Investigações apuraram mais de 2 mil reclamações desde 2015 contra a operadora, que recusou um termo de ajustamento de conduta (TAC). Empresa está proibida de fazer cobranças após o recebimento, por qualquer meio, do pedido de cancelamento do serviço.

Começa a valer cadastro que bloqueia telemarketing das teles

A partir deste 16/7, será possível inscrever números no cadastro ‘Não Me Perturbe’. Promessa da Anatel é que em 30 dias os inscritos não receberão mais chamadas promocionais das operadoras de telecom.

Imposto zero para IoT está na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara

Deputado Federal, Paulo Ganime (Novo/RJ), diz que o projeto de Lei 7656/2017, corrige uma distorção - a cobrança de FISTEL para os dispositivos IoT.

Governo autoriza aumento de capital da Telebras de R$ 1,17 bilhão

Montante é reflexo dos aportes autorizados em 2015, 2016, 2017 e 2018, quando a estatal estava ainda em acerto financeiro do satélite geoestacionário de defesa e comunicações. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G