INTERNET

Google, Facebook, WhatsApp e Instagram já estão sob acusação de violação do GDPR

Convergência Digital ... 25/05/2018 ... Convergência Digital

Google, Facebook, WhatsApp e Instagram foram acusadas de descumprir a nova lei da União Europeia que protege informações pessoais poucas horas após a nova diretriz pasar a valer nesta sexta-feira (25). A entidade Não é da Sua Conta (NOYB, na sigla em inglês), ONG que defende a privacidade online, entrou com ações junto às autoridades reguladoras de proteção de dados de quatro países.

A organização acusa as duas empresas de: forçar o consentimento de usuários com ameaças e usar mais dados do que precisam. A reclamação a respeito do Facebook foram feitas na Áustria, as contra o Google, na França, aquelas a respeito do WhatsApp, na Alemanha, e as pertinentes ao Instagram, na Bélgica-- Instagram e WhatsApp pertencem ao Facebook. A reclamação sobre o Google é referente apenas ao Android, sistema operacional da empresa para aparalhoes móveis.

Se as entidades entenderem que as empresas infringem o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR, na sigla em inglês), podem aplicar multas de até € 20 milhões ou 4% do total dos negócios das empresas – o que for maior. “Google ou Facebook poderiam ter de pagar mais de € 1 bilhão por violar a lei. Atualmente, nós não esperamos que as autoridades de proteção de dados usem seus plenos poderes de penalização, mas esperamos uma sanção razoável, dadas as óbvias violações.”

Reclamação

Umas das motivações para a NOYB entrar com as ações é o que a organização chama de consentimento forçado. “O GDPR deveria dar aos usuários a livre escolha para concordarem com o uso de seus dados ou não. O sentimento oposto é o que tem se espalhado nas telas de muitos usuários: toneladas de ‘caixas de consentimento’ pipocam online ou em aplicações, frequentemente combinadas com ameaças de que o serviço não poderá ser usado caso as pessoas não consentirem”, afirma a ONG.

O NOYB afirma ainda que a nova lei proíbe a oferta de serviços em troca do consentimento para usar dados. Para a ONG, o GDPR “permite explicitamente qualquer processamento de dados que são estritamente necessários para o serviço”. Dessa forma, acrescenta, o consentimento só seria necessário para usar informações pessoas no direcionamento de anúncios online ou para esses dados serem vendidos.

Fonte: G1 e agências de noticias


Com medo dos EUA, Europa adia planos de imposto para internet

Ideia de cobrar 3% das receitas de gigantes da rede como Google, Facebook e Amazon esbarra no receio da reação americana à taxação de suas empresas.

Sem integração, é impossível desenvolver IoT no Brasil

Iniciativa privada, universidades e poder público precisam trabalhar em conjunto para garantir o desenvolvimento de um ecossistema local para Inteernet das Coisas, adverte Elizabete Couto, diretora de IoT da Embratel.

2018: o ano para o Facebook apagar da sua história

Rede social admitiu que houve roubo de dados de 29 milhões de usuários na brecha de segurança descoberta no mês passado. De 15 milhões de usuários violados, foram roubados dois conjuntos de informações: nome e detalhes de contato, incluindo número de telefone, e-mail ou ambos, dependendo do que os indivíduos tinham em seus perfis.

Brasil é o segundo país do mundo a ter portal do Cidadão do Facebook

Ferramenta, criada por conta das eleições nos EUA em 2016, permite a conexão entre eleitores e autoridades eleitas.

Anatel empurra para 2019 posição sobre franquia na banda larga

Com o quarto adiamento e mais uma vez considerando a baixa participação social no debate, assunto foi transferido para a agenda regulatória 2019-2020. Segue em vigor a cautelar que impede o corte das conexões ao fim das franquias.

Revista Abranet 25 . ago-set-out 2018
Veja a Revista Abranet nº 25 Ordenar o uso e organizar o compartilhamento das infraestruturas aérea e terrestre são medidas imperativas para as empresas de energia, telecomunicações e de internet. E muito mais...
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G