INTERNET

Google, Facebook, WhatsApp e Instagram já estão sob acusação de violação do GDPR

Convergência Digital ... 25/05/2018 ... Convergência Digital

Google, Facebook, WhatsApp e Instagram foram acusadas de descumprir a nova lei da União Europeia que protege informações pessoais poucas horas após a nova diretriz pasar a valer nesta sexta-feira (25). A entidade Não é da Sua Conta (NOYB, na sigla em inglês), ONG que defende a privacidade online, entrou com ações junto às autoridades reguladoras de proteção de dados de quatro países.

A organização acusa as duas empresas de: forçar o consentimento de usuários com ameaças e usar mais dados do que precisam. A reclamação a respeito do Facebook foram feitas na Áustria, as contra o Google, na França, aquelas a respeito do WhatsApp, na Alemanha, e as pertinentes ao Instagram, na Bélgica-- Instagram e WhatsApp pertencem ao Facebook. A reclamação sobre o Google é referente apenas ao Android, sistema operacional da empresa para aparalhoes móveis.

Se as entidades entenderem que as empresas infringem o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR, na sigla em inglês), podem aplicar multas de até € 20 milhões ou 4% do total dos negócios das empresas – o que for maior. “Google ou Facebook poderiam ter de pagar mais de € 1 bilhão por violar a lei. Atualmente, nós não esperamos que as autoridades de proteção de dados usem seus plenos poderes de penalização, mas esperamos uma sanção razoável, dadas as óbvias violações.”

Reclamação

Umas das motivações para a NOYB entrar com as ações é o que a organização chama de consentimento forçado. “O GDPR deveria dar aos usuários a livre escolha para concordarem com o uso de seus dados ou não. O sentimento oposto é o que tem se espalhado nas telas de muitos usuários: toneladas de ‘caixas de consentimento’ pipocam online ou em aplicações, frequentemente combinadas com ameaças de que o serviço não poderá ser usado caso as pessoas não consentirem”, afirma a ONG.

O NOYB afirma ainda que a nova lei proíbe a oferta de serviços em troca do consentimento para usar dados. Para a ONG, o GDPR “permite explicitamente qualquer processamento de dados que são estritamente necessários para o serviço”. Dessa forma, acrescenta, o consentimento só seria necessário para usar informações pessoas no direcionamento de anúncios online ou para esses dados serem vendidos.

Fonte: G1 e agências de noticias


Ministros europeus querem imposto sobre Internet ainda em 2018

Ministros de finanças da União Europeia voltam a se reunir para tratar da taxa que deverá incidir sobre as receitas das empresas online com publicidade e mercados virtuais, como Facebook, Google e Amazon. Questão, no entanto, não é unânime.

Empresa paulista faz piloto de IoT para medição de água em 1000 residências

Equipamento, produzido pela DuoDigit,  de São Caetano do Sul, tem como diferencial a bateria, com vida útil de 10 anos de duração.

Embalagens inteligentes abrem frente para a IoT na Indústria 4.0

Com cerca de quatro milhões de embalagens retornáveis em circulação na indústria automobilística, a startup Reciclapac investe na conexão das Internet das Coisas à Logistica.

Emails de mais de 3,3 milhões de brasileiros foram vazados de site

O vazamento foi confirmado pelo site MyHeritage ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). O incidente aconteceu em 2017, mas dados sensíveis dos clientes não teriam vazado, de acordo com  investigação feita pela Autoridade Israelense de Proteção de Dados.

Para 83%, produtos vendidos pela internet são mais baratos

Preço e comodidade são principais vantagens das compras online, segundo pesquisa do SPC. Mas 41% admitem que internet incentiva gastos por impulso.

Revista Abranet 25 . ago-set-out 2018
Veja a Revista Abranet nº 25 Ordenar o uso e organizar o compartilhamento das infraestruturas aérea e terrestre são medidas imperativas para as empresas de energia, telecomunicações e de internet. E muito mais...
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G