GOVERNO » Política Industrial

Plano prevê moratória tributária de 10 anos para IoT

Luís Osvaldo Grossmann ... 24/05/2018 ... Convergência Digital

O governo promete para os próximos dias publicar o Decreto sobre a política nacional de internet das coisas, onde busca um conceito específico como infraestrutura para fugir do enquadramento como serviço de telecomunicações e, com isso, escapar da carga fiscal a eles associada. E adicionalmente costura uma Medida Provisória prevendo um feriado de dez anos para os impostos e taxas federais  para equipamentos e plataformas.

“Vim falar sobre o que vocês querem ouvir”, disparou o secretário de políticas digitais do MCTIC, Thiago Camargo, a uma plateia de operadoras de telecomunicações reunidas no Painel Telebrasil. “Estamos propondo um ‘sandbox’ regulatório e uma moratória tributária de pelo menos 10 anos para a internet das coisas”, anunciou.

O Decreto enquadra IoT como a infraestrutura que possibilita a prestação de serviços de valor adicionado pela conexão física ou virtual de coisas com dispositivos baseados nas tecnologias da informação e comunicação existentes e nas suas evoluções, com interoperabilidade. E que tal infraestrutura não se confunde com a prestação de serviços de telecomunicações. Tampouco trata como serviço de valor adicionado.

“Internet das coisas é outro bicho, não deve ser confundido com SVA, porque é infraestrutura, não deve ser confundido com coisas mais inteligentes, mas sim criar infraestrutura em que a comunicação tenha velocidade e que o uso responsável de dados vai criar novos modelos de negócio”, insistiu o secretário de políticas digitais.

O feriado tributário depende de acordo. “É uma proposta de moratória tributária para devices e plataformas. Para ir adiante precisa da assinatura do Ministério da Fazenda. Parte entende a necessidade de redução tributária para o desenvolvimento econômico. Mas ainda não conversamos com a Receita Federal. Estamos tentando primeiro angariar mais apoio dentro do governo federal para que fique feio não apoiar essa ideia. Se não der certo em três meses a gente vai sair do jeito que está”, completou.


Órgãos públicos do Executivo estão proibidos de exigir CPF e CNPJ

Medida impõe o compartilhamento de dados sem nenhuma regra de cuidado com as informações. Portaria proíbe a exigência ainda de certidões de débitos tributários e dívida ativa e certidão de quitação eleitoral.

Serpro repudia acusação de venda de dados pessoais

Estatal diz nunca ter repassado conteúdo ao site 'Consulta Pública', 'congelado' por uma ação do MPF do Distrito Federal. Sustenta ainda que não vende 'secretamente' dados de pessoas naturais ou jurídicas.

Apps de e-gov não pedem consentimento e coletam mais dados do que precisam

Segundo estudo do InternetLab com aplicativos federais e de São Paulo, nenhum dos aplicativos pede consentimento expresso e metade não possui qualquer política de privacidade.

Anac autoriza Secretaria de Patrimônio da União usar drones para fiscalização

Licitação para a compra de equipamentos pelo governo deverá acontecer a partir do final de maio. Drones vão ser usados para fiscalizar uso irregular de áreas de praia, margens de rios, terrenos de marinha e espelhos d'água, dentre outros bens públicos de propriedade da União.

CDES quer prioridade para proteção de dados e transformação digital

O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) recomendou ao governo que garanta dotação orçamentária adequada e mecanismos de acompanhamento da digitalização do setor público.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G