GOVERNO » Compras Governamentais

TSE testa nova impressora para 30 mil urnas eletrônicas

Luís Osvaldo Grossmann ... 02/04/2018 ... Convergência Digital

O Tribunal Superior Eleitoral testa nesta segunda, 2/4, um modelo de impressora para as urnas eletrônicas. Trata-se do equipamento da CIS Eletrônica da Amazônia, até aqui vencedora provisória de um novo pregão da Justiça Eleitoral, depois que o primeiro fracassou com a desqualificação das duas únicas propostas.

Por enquanto, a CIS desponta com lance global de R$ 57,57 milhões, o que inclui as impressoras (pelas quais pediu R$ 48 milhões), urnas para depósito dos votos impressos, além de cabines, papel, etc. Há outras duas empresas na disputa. Uma delas a mesma TSC Pontual, vencedora do primeiro pregão depois que a impressora da venezuelana Smartmatic foi desqualificada. A empresa, porém, não aceitou reduzir o preço de R$ 67 milhões para os R$ 62 milhões do valor de referência do edital e a licitação foi cancelada.

Desta vez, a TSC pediu ainda mais, R$ 77 milhões apenas nas impressoras. Ficou atrás de outra concorrente, Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas, que pediu R$ 47 milhões nas urnas, mas ficou em segundo lugar no  valor global, atrás da CIS.

O TSE está comprando 30 mil impressoras, mas a decisão em si é polêmica. Afinal, a Lei 13.165/15 exige a impressão dos votos. A Justiça Eleitoral, no entanto, alega custo alto na decisão de comprar as impressoras de forma escalonada. Uma proposta de Decreto Legislativo pode obrigar o TSE a comprar impressoras para todas as 550 mil urnas eletrônicas.


Órgãos públicos do Executivo estão proibidos de exigir CPF e CNPJ

Medida impõe o compartilhamento de dados sem nenhuma regra de cuidado com as informações. Portaria proíbe a exigência ainda de certidões de débitos tributários e dívida ativa e certidão de quitação eleitoral.

Serpro repudia acusação de venda de dados pessoais

Estatal diz nunca ter repassado conteúdo ao site 'Consulta Pública', 'congelado' por uma ação do MPF do Distrito Federal. Sustenta ainda que não vende 'secretamente' dados de pessoas naturais ou jurídicas.

Apps de e-gov não pedem consentimento e coletam mais dados do que precisam

Segundo estudo do InternetLab com aplicativos federais e de São Paulo, nenhum dos aplicativos pede consentimento expresso e metade não possui qualquer política de privacidade.

Anac autoriza Secretaria de Patrimônio da União usar drones para fiscalização

Licitação para a compra de equipamentos pelo governo deverá acontecer a partir do final de maio. Drones vão ser usados para fiscalizar uso irregular de áreas de praia, margens de rios, terrenos de marinha e espelhos d'água, dentre outros bens públicos de propriedade da União.

CDES quer prioridade para proteção de dados e transformação digital

O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) recomendou ao governo que garanta dotação orçamentária adequada e mecanismos de acompanhamento da digitalização do setor público.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G