SEGURANÇA

Secretário Geral diz que ONU precisa discutir tratado global sobre ciberguerra

Convergência Digital* ... 19/02/2018 ... Convergência Digital

O secretário geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, defendeu a adoção de tratados globais sobre guerra cibernética que busquem minimizar o impacto sobre civis, especialmente diante da tendência de ataques cibernéticos massivos se tornarem os primeiros salvos em futuras guerras. 

“Episódios de guerra cibernética entre Estados já existe. O pior é que não existe qualquer esquema regulatório para esse tipo de conflito, não é claro como a convenção de Genebra ou leis internacionais humanitárias se aplicam”, discursou Guterres nesta segunda, 19/2, na Universidade de Lisboa. 

“Estou absolutamente convencido que, diferente de grandes batalhas do passado, que começaram com uma barragem de artilharia ou bombardeio aéreo, a próxima guerra vai começar com um ataque cibernético massivo para destruir capacidades militares e paralisar infraestrutura básica como redes elétricas”, afirmou.

Para ele, as Nações Unidas devem ser a plataforma onde os vários atores, de cientistas a governantes, possam se encontrar e discutir regras “que garantam um caráter mais humano” aos conflitos que envolvam tecnologia da informação, bem como para que a internet seja “um instrumento a serviço do bem”. 

*Com informações da Reuters


Soluções de Segurança para a Sociedade
Não delegue a segurança cibernética apenas para a TI

Para mitigar os riscos com ataques hackers, toda a corporação precisa se unir, adverte Jun Goto, vice-presidente Sênior da NEC Corporation.

MPF acusa Microsoft de coleta indevida de dados no Windows 10

Ação civil pública pede adequação do software em 15 dias. Também acusa a União de omissão e quer plano emergencial de proteção de dados para computadores em órgãos públicos que usem o sistema operacional. Microsoft diz que atua dentro da Lei.

Corporações se unem contra ataques cibernéticos

Pelo acordo a ser assinado, grandes empresas de tecnologia prometem "proteção igualitária" a clientes contra o uso indevido de sua tecnologia. "Independente da nacionalidade, geografia ou motivação do ataque", asseguram. Entretanto, o comunicado do acordo não deixa claro quanto isso vai custar aos clientes.

NIC.br contrata plataforma para proteger centro de operações de ataques DDOs

Brasil foi o 5º país mais visado por esse tipo de ataque no ano passado. "Não se trata de ser ou não atacado. O ataque vai acontecer, o que precisa é estar preparado", diz o  Gerente de Sistemas do NIC.br, Marcelo Gardini.

Golpe de recarga grátis afeta mais de 20 mil pessoas em menos de 24 horas

Apenas no mês de abril, revela o laboratório especializado em cibercrime Dfnder Lab, foram bloqueados mais de 15 golpes diferentes envolvendo compartilhamento no WhatsApp.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G