Home - Convergência Digital

Novas receitas das teles virão do B2B e do B2G

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo e Pedro Costa - 11/12/2017

Não basta o tubo para prover o serviço de Internet das Coisas é necessário que a operadora esteja preparada para trabalhar na oferta fim a fim, observou Júlio Sgarbi, da Huawei Brasil, ao participar do Fórum de Tecnologia e Inovação Oi, realizado nesta segunda-feira, 11 de dezembro, no Rio de Janeiro.

O executivo assegura que novas receitas vão sugir no mercado de B2B e do B2G ( relação com governo).  "A rede atual, a rede legada, não suporta os novos serviços que estão por vir, uma vez que elas estão em silos, com vida útil já no fim", afirma Sgarbi. Assistam a participação de Júlio Sgarbi, da Huawei Brasil.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

23/10/2018
Oi ganha liminar em Portugal e suspende eleição na Pharol

22/10/2018
Para a NEC, telecom terá que fundir serviços com TI e inteligência artificial

19/10/2018
Salvador vai usar plataforma de segurança pública da Huawei

19/10/2018
Sem integração, é impossível desenvolver IoT no Brasil

19/10/2018
Oi amplia zero rating para WhatsApp e Messenger no pré-pago

18/10/2018
Falta de espectro e de harmonização ameaçam 5G na América Latina

18/10/2018
GSMA: Governos adiantam licitação para pressionar implantação do 5G

18/10/2018
Oi e Huawei preparam piloto que une videomonitoramento e IA

17/10/2018
Para CTO da TIM, sem antenas 5G não vai sair do discurso no Brasil

17/10/2018
MCTIC, no governo Temer, esbarrou na falta de orçamento e de força política

Destaques
Destaques

Mercado de IoT projeta movimentar US$ 8 bilhões no Brasil em 2018

Embora conte com políticas públcias específicas e já conte com projetos bem sucedidos, o setor de IoT ainda enfrenta desafios para avançar no Brasil, incluindo formação profissional e o estabelecimento de um ecossistema local.

FCC, dos EUA, impõe ‘Lei das Antenas’ para acelerar redes 5G

Regra aprovada pelo regulador dos Estados Unidos prevê entre 60 e 90 dias como prazo máximo para licenças de instalação de equipamentos, em especial, para as small cells. Lá também há burocracia e o prazo de espera pode chegar a um ano. No Brasil, a situação não é diferente.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site